domingo, outubro 6, 2013

                                     Pier de Santa Barbara,CA (c)Eurico Salis 2013

 

O que realmente está por trás do “shutdown”, a paralisação do governo federal americano, é a longa batalha que vem sendo travada entre republicanos e democratas para aprovar, ou derrubar, a reforma no sistema de saúde americano, popularmente conhecido como  Obamacare.  Com o pretexto de reprovar o orçamento federal para o próximo ano, os republicanos levaram Obama as cordas, recusando o orçamento. O orçamento não foi aprovado dentro do prazo legal, e em razão disto, serviços federais foram paralisados  até que o embróglio se resolva.  Obama acusa os republicanos de criarem uma crise desnecessária que trará consequências ruins à economia do país. Ele não é bobo,  está fazendo do limão uma limonada. A opinião pública que andava de mal com Barack, começa a se manifestar favorável ao presidente. Os Estados Unidos tem um sistema de saúde ruim,  e caro para o bolso do cidadão classe média - a maioria da população  por aqui. Esta semana, protegido por  meu  plano de saúde, que é limitado e cobre apenas emergências experimentei o gosto que recai no cidadão médio o peso do sistema de saúde.  Levei meu filho ao médico que receitou ao Bruno remédio para eliminar vermes, coisa normal que ocorre em crianças. Fui à farmácia e, para minha surpresa, as seis cápsulas receitadas custavam setecentos e trinta dólares. Absurdo total. Se você tem plano de saúde, o assunto é outro e então como plano cobre 90% do custo,   a medicação vai pesar bem menos. Não é o meu caso. Bem, liguei para uma farmácia no Canadá, onde a medicação é muito acessível. Enviei a eles a receita por email,  iria pagar sessenta dólares pela mesma medicação que aqui custavam setecentos e trinta doletas. Tudo certo? Não, tudo errado. A farmácia me avisou que o prazo para entrega da medicação na Califórnia levava em torno de cinco semanas. Ests prazo inviabilizou comprar a tal  medicação no Canadá.  Claro, existem barreiras legais para entrada de remédios, e existem artimanhas imposta pela cruel industria farmacêutica, que não dorme no ponto e fecha todos os meios  para furar o bloqueio. A solução? Trazer do Brasil, onde as seis cápsulas custam vinte reais,  e chegam em torno de dez dias. Nesta hora lembrei do esforço do governo brasileiro alguns anos atrás quando quebrou patentes e implantou o medicamento genérico no Brasil. Aqui também existe “genérico” mas eles não fazem cócegas na poderosa indústria farmacêutica. Aliás, esta mesma indústria mantém um verdadeiro bombardeio contra o governo Obama, que contraria seus interesses. Eles não estão sozinhos. As redes de televisão CNN e Fox também batem sistematicamente no Barack. Em razão da não aprovação do orçamento do governo, serviços federais foram paralisado aqui. Bill Clinton passou por esta experiência, imposta pelos republicanos. Na prática mudou pouco o dia a dia do povo americano, porque aqui a os serviços públicos são operados pelo município, ou pelo estado, em sua grande maioria.  Estão fechados parques, museus e monumentos. Brasileiros que estavam com data marcada para conhecer a Estátua da Liberdade vão ter que atirar suas fichas nas roletas de Las Vegas. Com sorte, se acertarem o vermelho 23, poderão voltar mais ricos para o Brasil.

Deixe seu comentário. Clique aqui